DICAS de português do Brasil

Arquivo da categoria: VERBO

Comete erro quem diz ou escreve “Tratam-se de assuntos pessoais”. O verbo “tratar” em construções como essa não varia. É um caso de sujeito indeterminado, que ocorre sempre com verbos transitivos indiretos acompanhados do índice de indeterminação do sujeito “se”.

Não se deve achar que o sujeito de uma oração é um elemento introduzido por preposição, como “de assuntos pessoais”.

Não existe sujeito preposicionado.

Assim, em orações como “Necessita-se de pedreiros”, “Precisa-se de eletricistas”, “Passava das vinte horas”, o verbo fica no singular porque o sujeito está indeterminado.

Anúncios



Alguém, comentando a morte de uma pessoa, falou:

– Foi uma grande PERCA! (Isso e horrível. Os ouvidos sofrem.)

Nunca digam isso!!!!!

O correto é: foi uma grande PERDA!

Tenha cuidado com essa palavra. Vejam outra frase:

– Colega senador, não PERDA a cabeça, afinal, perder o orçamento não é uma grande PERCA;

Rápido, corrijam essa frase estúpida!

– Colega senador, não PERCA a cabeça, afinal, perder o orçamento não é uma grande PERDA;(CORRETO)

– Meninos, não percam seus briquedos! (CORRETO)


Ele DISSE ou TINHA DITO que o jumento pastaria nos jardins do congresso espanhol?

A diferença entre DISSE e TINHA DITO é o tempo verbal: DISSE está no pretérito perfeito e TINHA DITO, no pretérito mais-que-perfeito do indicativo.

O pretérito perfeito indica uma ação concluída no passado: “Ele disse, saiu, fez…”; o pretérito mais-que-perfeito indica uma ação anterior a outra ação que já está no passado: “Quando eu cheguei (pretérito perfeito = ação já passada), ele já tinha dito ou dissera ou havia dito, tinha saído ou saíra ou havia saído, tinha feito ou fizera ou havia feito (pretérito mais-que-perfeito = ação anterior à ação já passada)”.

Assim sendo, o mais adequado é:

Ele tinha ditoque o jumento pastaria nos jardins do congresso espanhol.


Mesmo os políticos PARECE ou PARECEM que estão surpresos com a bandidagem?

A frase correta é a seguinte:

Mesmo os políticosPARECE que estão surpresos com a bandidagem.

O sujeito do verbo PARECER é a segunda oração (=que mesmo os políticos estão surpresos com a bandidagem).

Em ordem direta, temos: “PARECE que mesmo os políticos estão surpresos com a bandidagem.

Veja que o termo “os políticos” é o sujeito da segunda oração, do verbo ESTAR (=os políticos estão surpresos com a bandidagem).


O VERBO ARGUIR

DICAS DE PORTUGUÊS

 

O verbo arguir não é defectivo.

A 1ª pessoa do singular do presente do indicativo é “eu arguo”.

Não se acentua a vogal “u”, embora a sílaba tônica seja a penúltima (=”gu”).

Devemos pronunciar “arguo”.

https://vanraz.wordpress.com/