DICAS de português do Brasil

Arquivo do mês: maio 2013

qua, 08/10/08

por Sérgio Nogueira |

1ª) Qual é o plural de PRETO-VELHO?

Em palavras compostas formadas por um substantivo + um adjetivo, os dois elementos vão para o plural: PRETOS-VELHOS, guardas-civis, cachorros-quentes, bóias-frias, altos-relevos, altas-horas, curtas-metragens…


2ª) Qual é o plural de LUA-DE-MEL?

Em compostos com a preposição “de”, somente o primeiro elemento vai para o plural: LUAS-DE-MEL, pés-de-moleque, copos-de-leite, donas-de-casa, pores-do-sol, pães-de-ló…


3ª) LUAL ou LUAU?

Aquela festa informal que se realiza na praia à noite é LUAU.


4ª) Ficção-científica OU ficção científica?

O correto é escrever FICÇÃO CIENTÍFICA sem hífen, pois não se trata de uma palavra composta. Temos duas palavras independentes: um substantivo (ficção) qualificado por um adjetivo (científica).


5ª)
6ª) Das 22h a 0h OU das 22 a 0h?

A dúvida do leitor é se deve ou não pôr o “h” depois do “22”.
É bom pôr o “h”, mas o problema maior é a falta do acento indicativo da crase. O correto é: das 22h à 0h ou das 22h à meia-noite.


7ª) Andar a pé OU à pé?

O correto é “andar a pé” (sem acento grave).
Embora seja um adjunto adverbial de modo, não há crase pois “pé” é um substantivo masculino.

As locuções adverbiais (lugar, tempo, modo…) recebem o acento indicativo da crase quando formadas por palavras femininas: sentar-se à mesa, bater à porta, entrar à direita, vigiar à distância, sair à noite, errar às vezes, vender à vista, viver à toa, falar às claras, sair às escuras, coser à mão…

Não devemos confundir com aqueles casos em que subentendemos a locução “à moda de”: filé à francesa, bife à milanesa, bacalhau à Gomes de Sá, churrasco à Osvaldo Aranha, versos à Bilac…


8ª) Criança mau-educada OU má-educada?

Nem um nem outro. O correto é MAL-EDUCADA.

1ª) MAU é adjetivo e se opõe a BOM (acompanha substantivos): mau-caráter, mau profissional, mau uso, mau humor;

2ª) MÁ é o feminino de MAU: má educação, má hora e lugar, má notícia, má forma;

3ª) MAL é advérbio e se opõe a BEM (acompanha verbos ou adjetivos): “Ele comportou-se mal”; “Ela fala muito mal”; “As crianças foram mal educadas pelos pais”.

Devemos escrever com hífen quando formar um adjetivo ou um substantivo composto e a palavra seguinte começar por “h” ou por vogais: “Ela é uma criança mal-educada”; “Houve um grande mal-estar”; “Ele estava mal-humorado”; “Era um produto mal-acabado”. Se a palavra seguinte começar por uma letra diferente de “h” e vogais, devemos escrever “tudo junto”: “Ela é uma criança malcriada”; “Ela é uma malcasada”; “É um produto malfeito”.


9º) Preconceito OU pré-conceito?

O correto é preconceito.
Com o prefixo “pré-“, só usamos hífen, quando ele é tônico: pré-colombiano, pré-coma, pré-contrato, pré-cozido, pré-datado, pré-estréia, pré-vestibular…

Quando o prefixo “pre” é átono, escrevemos “junto”: preconceito, preconcebido, precocidade, precogitação, precognição, preconizar, predeterminar…


Teste da semana

Assinale a opção que completa corretamente as lacunas das frases a seguir:
1ª) “Isso nunca _______”;
2ª) “Ela sempre se ____________”;
3ª) “O juiz ______________ o caso”.

(a) vareia / maqueia / intermedeia;
(b) varia / maquia / intermedia;
(c) vareia / maquia / intermedia;
(d) varia / maqueia / intermedeia;
(e) varia / maquia / intermedeia.


Resposta do teste: letra (e). Os verbos terminados em “-iar” são regulares: ele anuncia, copia, premia, varia, maquia… São irregulares somente os verbos mediar (e intermediar), ansiar, remediar, incendiar e odiar (= grupo do MARIO): ele medeia, intermedeia, anseia, remedeia, incendeia e odeia.

Anúncios

Isso vai “dá” ou “dar” certo?

1. Melhor “” ou “dar” que receber?

2. Trouxe este livro para meu filho “” ou “ler“?

3. O mais importante é “está” ou “estar” de bem com a vida?

4. Nosso plano de estudo deve “” ou “dar” certo?

Você tem ou já teve dúvidas em relação ao emprego das expressões destacadas acima? É hora de exterminá-las de vez!

Atendendo ao pedido dos internautas Ana Maria, Cláudio Jorge, Sílvia Aguir e Marcelino Torres, procuraremos explicar, de uma maneira bastante prática, quando empregar o verbo flexionado (está, dá, vê) e quando utilizá-lo no infinitivo (estar, dar, ver).

Em locuções verbais, o verbo principal será sempre reduzido. Dessa forma, frases como “Ele deve está aqui” ou “Você pode vê com nitidez” não estarão de acordo com a norma culta da língua. As formas corretas seriam: “Ele deve estar aqui” e “Você pode ver com nitidez”.

Uma maneira bem direta de testar o emprego do verbo no infinitivo se dá com a troca por outro verbo no infinitivo. Veja:

Na frase 1, “Melhor dar que receber” (e não “dá”). Você poderia dizer: Melhor viver que morrer, por exemplo. Jamais, “Melhor vivê que morrer”.

Na 2ª frase, “Trouxe este livro para meu filho ler“. Como poderia ter comprado um brinquedo para ele “brincar“. Note que em uma sentença como “Meu filho lê muito.”, você não poderia processar a substituição, como no exemplo anterior. Imagine: “Meu filho brincar muito, correr muito, dormir muito”… Não haverá essas possibilidades!

Na frase 3, de igual modo, “O mais importante é estar de bem com a vida” (não “está”). Poderíamos afirmar: “O mais importante é viver bem, comer bem, trabalhar bem, dormir bem”.

Na 4ª frase, portanto, o verbo deverá ser empregado no infinitivo: “Nosso plano de estudo deve dar certo”.

Só para fixar:

Ele mais para receber mais! (não pode ser trocado por outro verbo no infinitivo)

Ela mais para aprender mais! (não pode ser trocado por outro verbo no infinitivo)

Para estar bem, é preciso ser ético! (nesse caso, pode ser substituído por outro verbo no infinitivo)

O importante é que tudo vai dar certo. (principal verbo de uma locução)

CRÉDITOS: http://edusampaio.com/2012/01/11/isso-vai-da-ou-dar-certo/

EDUARDO SAMPAIO.