(…) não somos diferentes. Somos humanos, apenas isso! Só isso deve nos interessar. É essa maldita sociedade que nos distingue um do outro, cria divergências e, assim, divide-nos! Haverá um dia em que as cercas da ignorância não mais nos separarão. Nesse dia eu não precisarei discutir a preferência sexual de ninguém, pois só haverá uma resposta: preferência sexual humana. A cor da pele será apenas um belo adereço no revestimento do corpo e minha cor será igual a sua: cor humana; ninguém precisará dizer qual é sua raça ou sua crença, pois só haverá uma resposta para cada pergunta: raça humana, crença humana. Assim, nesse dia, nenhum pensamento filosófico ou teológico que definam uma entidade sobrenatural fará sentido, pois, sendo honesto, ninguém terá coragem de definir um ser do bem ou do mal, e mesmo que alguém ousasse defini-lo não haveria ninguém interessado em ouvir tamanho disparate! Todos saberão que um ser sobrenatural definido e proferido por quem quer seja é um falso ser! Sabendo que o mal não existe, e sim a ignorância que leva à intolerância e todos os outros males, aprenderemos desde cedo a ter sede de saber e de aceitar as diferenças. Nesse dia teremos o reinado das virtudes cuja rainha será a honestidade e todos os humanos celebrarão o desprezo pela mediocridade!

Vanraz