DICAS DA LÍNGUA Portuguesa

Vírgula

Vírgula no interior da oração:

Na língua portuguesa a ordem direta dos termos da oração é a seguinte:

SUJEITO + VERBO + COMPLEMENTO + CIRCUNSTÂNCIA

NÃO SE SEPARAM ESSES TERMOS POR VÍRGULA

Vejamos um exemplo:

 O senador deu um presente à namorada hoje.

SUJEITO – O senador

VERBO – deu (transitivo direto para coisa e transitivo indireto para pessoa)

COMPLEMENTO – um presente à namorada (objetos, predicativos)

CIRCUNSTÂNCIA – hoje. (tempo, lugar, modo, etc.)

Outro exemplo:

Algumas eleitoras enviaram cartas ao congresso.

SUJEITO – Algumas eleitoras

VERBO – enviaram

COMPLEMENTO – cartas ao congresso. (oração na ordem direta prescinde de vírgulas)

Termos intercalados que quebram a ordem direta da frase (são separados por vírgula):

Aposto explicativo

O senado, a casa da moralidade do Brasil, já não atrai tantos canalhas.

O criador da “casa da rabeca”, “Mestre Salu”, nasceu em Pernambuco.

 Expressões de caráter corretivo ou explicativo

 As suas palavras, ou melhor, os seus gestos merecem honroso registro.

A lua estava linda, quer dizer, maravilhosa!

Aquelas árvores, por exemplo, por que derrubá-las?

Somos todos crianças, isto é, seres humanos.

 Separar termos de mesma função sintática:

 “Eu não tinha este rosto de hoje, assim calmo, assim triste, assim magro.” (advérbios) Cecília Meireles

 Comi mamão, abacaxi, maçã, etc. (substantivos) (há vírgula após o etc. porque significa outras coisas ou, simplesmente, o resto, e não a última coisa da enumeração).

 Professores, alunos e funcionários devem-se respeitar. (após o último termo não se coloca vírgula)

 Ela é linda, inteligente e feliz. (adjetivos) 

 Separar as conjunções intercaladas:

 O alto risco do negócio, no entanto, não compensava o investimento.

No entanto, o alto risco do negócio não compensava o investimento.

O alto risco do negócio não compensava o investimento(,)no entanto. (opcional a vírgula para se separar a circunstância, se a oração for de grande extensão, a gosto do freguês)

 O inquilino, apesar de tudo, estava com a razão.

Apesar de tudo, o inquilino estava com a razão.

O inquilino estava com a razão (,) apesar de tudo.

Os jogadores, naquele campeonato, demonstraram despreparo físico e técnico.

Naquele campeonato, os jogadores demonstraram despreparo físico e técnico.

Os jogadores demonstraram despreparo físico e técnico (,) naquele campeonato.

 O frio, naquela noite, dava-nos a sensação de congelarmos.

Naquela noite, o frio dava-nos a sensação de congelarmos.

O frio dava-nos a sensação de congelarmos(,) naquela noite.

 Afirmam alguns gramáticos que não há necessidade de se usar vírgula caso o adjunto adverbial e a oração forem de pequena extensão.

Os jogadores sempre buscam a vitória. (a ordem direta da oração seria Os jogadores buscam a vitória sempre)

Amanhã choverá. (Choverá amanhã)